Arquivo da tag: publicidade

A verdade nua e crua de Oliviero Toscani

oliviero_toscani_01

A fala agitada, característica de todo bom italiano, e as opiniões incisivas de Oliviero Toscani sempre o levaram a ficar no centro das mais diversas polêmicas. Suas críticas fortes e controversas são refletidas diretamente em seu trabalho e divertem a muitos, agradam a poucos e incomodam a grande maioria.

Toscani tem propriedade para opinar sobre o que acontece no meio jornalístico e publicitário. Filho do primeiro repórter fotográfico do jornal italiano Corriere Della Sera, cresceu envolvido por um ambiente repleto de informações e questionamentos. Por influência do pai, começou a fotografar muito cedo, aos oito anos de idade, e mais tarde enveredou para o caminho da Publicidade, sendo internacionalmente reconhecido pelas belas, provocativas e polêmicas campanhas criadas para a Benetton.

OK… Mas e qual o motivo do post?

O motivo é que recentemente a GloboNews apresentou uma entrevista realizada pelo jornalista Roberto D´Avila, onde Toscani novamente colocou o dedo na ferida de muitos publicitários:

“[As agências] Fazem pesquisa de mercado para descobrir que camundongo gosta de queijo. As agências de publicidade são uma grande farsa. Tudo o que eu faço é novo. Não faço um trabalho baseado na experiência, não é interessante.
A criatividade nasce de ações inseguras. Na insegurança máxima, você consegue atingir o máximo de criatividade. Se ficar na esfera do seguro, fará mediocridades”

Incomoda ler isto, né? A verdade geralmente tem este efeito sobre nós… Para quem quiser formar uma opinião melhor sobre esta grande figura da nossa geração, recomento assistir a entrevista completa. Basta clicar na imagem abaixo e informar o seu código de assinante de uma das operadoras do canal GloboNews:

oliviero_toscani_02

Não vou transcrever todas as falas dele aqui, mas só para deixar mais uma inquietação no ar, encerro com outra frase sensacional:

“O talento é como uma planta, uma flor. Normalmente é cortado logo cedo, pela mãe ou pelo pai, pela escola ou pela religião, pela educação ou pela sociedade. Mas você pode cultivar. Você tem que acreditar nele, é como uma voz que fala com você. Observei que os grandes artistas podem até ter um comportamento meio presunçoso, soberbo. Mas na realidade não é assim, porque quando tentam fazer alguma coisa eles se tornam extremamente modestos. Escutam essa voz.

Anúncios

Como escolher uma fonte?

Acredito que todo diretor de arte ou designer gráfico já se deparou com o dilema de “qual fonte escolher” para um projeto em andamento. Seja o desenvolvimento de uma simples newsletter ou um estudo de criação para logotipo.

Com a facilidade que se tem para encontrar fontes gratuitas pela web, é comum termos dois, cinco, dez mil fontes disponíveis no nosso computador. E isto acaba se tornando uma verdadeira dor de cabeça!

Recebi estes dias de um amigo, um estudo muito legal feito por uma designer gráfica dinamarquesa chamada Julian Hansen. A ideia dela é muito interessante. Meio engraçadinha e com algumas piadas de gosto duvidoso, mas mesmo assim vale a intenção.

Julian desenvolveu um quadro com várias famílias tipográficas, que tenta conduzir o atormentado criativo até uma solução para este dilema. O centro do quadro traz a seguinte questão: “Então você precisa de uma fonte” ou algo do gênero… Partindo deste ponto, você define um tema ou área do projeto e vai sendo “guiado” até uma solução tipográfica.

Engraçadinho ou não, acadêmico ou não, o fato é que deve ter dado um trabalho enorme para desenvolver este material e os resultados são até que bem satisfatórios.

Quem se interessar, pode até comprar o poster impresso (aqui). Recomendo.

Bienal de Design 2009

bienal_adg_2009

Como já está virando tradição em Blumenau, mais uma vez os criativos da cidade se reuniram e foram à 9ª Bienal Brasileira de Design Gráfico da ADG, em São Paulo, que este ano foi realizada no Centro Cultural São Paulo. Um lugar fantástico, que transborda cultura e civilidade por todos os seus corredores.

A iniciativa de organizar a excursão foi do Núcleo de Criação & Design, da Acib, que fez um excelente trabalho. Graças ao convite do Bruno, da Joy Design, tive a oportunidade de participar desta viagem com o grupo.

todos_peqDeu pra ver de longe que éramos turistas!

allyson_peqEu, em momento poser. As duas fotos são cortesia do David José Theiss, Diretor de Arte da Seven.

Vi muito material bom, de qualidade mesmo. Este ano a exposição foi menor, mas as peças me pareceram muito selecionadas. Confesso que alguns trabalhos me decepcionaram. Não sei se pela suspeita de que foram criadas única e exclusivamente para a Bienal, ou se pela falta de solidez do material em si. Em geral: nota nove!

Como não poderia deixar de ser, aproveitamos o final de semana para visitar alguns lugares classicos da cidade. No Masp, vimos as exposições do brilhante Vik Muniz e do Calendário da Pirelli. No MAM, a mostra fotógrafica “Olhar e Fingir: Fotografias da Coleção Auer”me deixou impressionado. Tinha de Bresson a Man Ray e algumas curiosidades históricas, como chapas de daguerreótipos originais e negativos em vidro!

Foi uma ótima experiência e uma grande oportunidade para arejar a cabeça, trocar idéias e conhecer pessoas e lugares novos. Combustível básico e essencial para continuar o trabalho criativo durante o restante do ano.